11 outubro, 2008

O PRÍNCIPE CASPIAN

O REGRESSO DE"AS CRÓNICAS DE NÁRNIA"
A BUSCA DE DEUS, DE UMA IDENTIDADE PESSOAL, COLOCADA NO MUNDO IMAGINÁRIO.
"As Crónicas de Nárnia", de C. S. Lewis, voltaram ao cinema, agora com "O Príncipe Caspian" a segunda das sete clássicas histórias do famoso autor e professor de literatura medieval e renascentista da Universidade de Cambridge, Reino Unido (1898-1963).
As quatro crianças. Peter. Lucy. Edmund e Susan. que conhecemos em "O Leão, a Feiticeira e o Guarda-roupa" voltam a Nárnia para ajudar o Príncipe Caspian e um exército de narnianos, a conquistarem o trono, no domínio do maléfico Rei Miraz, vencendo os poderes do mal que oprimem as silenciadas terras de Nárnia.
Guardadas na secção infantil das bibliotecas, e lidas abundantemente pelas crianças, "As Crónicas de Nárnia talvez sejam uma oportuna leitura para adultos. Tal como Lewis e Tolkien (O Senhor dos Anéis), seu amigo, entendiam, estas histórias não são necessariamente para crianças. Para estes autores, só vale a pena ser lido o conto de fadas que valha a pena ser escrito para, e lido por, adultos.
Lewis entendia que o mundo imaginário dava ao mundo real 'uma nova dimensão de profundidade" devolvendo nos ao mundo com um prazer redescoberto. Como afirma Manha C Sammons', Lewis acha que a fantasia permite retirar a monotonia às coisas que conhecemos, restaurando a nossa visão do mundo, fortalecendo assim o nosso gosto pela vida.
Embora o autor não pretendesse escrever alegorias cristãs, ele reconheceu que os elementos da sua fé cristã permearam as suas narrativas. As histórias de Nárnia são peregrinações espirituais, que resultam numa grande mudança interior dos personagens quando os poderes do mal que os oprimem são vencidos. Ê a busca de Deus, de uma identidade pessoal, colocada no mundo imaginária
Em "O Príncipe Caspian" podemos cruzar-nos com muitos temas. A maçadora educação imposta e censurada pelo Rei Miraz, que tenta impedir o verdadeiro conhecimento da antiga Nárnia, confronta-se com a educação justa da Nárnia genuína. Uma perspectiva materialista e céptica da vida é confrontada com uma perspectiva de vida de dimensão transcendente, espiritual. A sempre desejada figura do leão Aslan, ressuscitado, aponta para a pessoa de Cristo, libertador e a responsabilidade humana. O encontro de Aslan com Lucy é um estimulo à fé em contextos de vida onde ela rareia.
Lewis recorre ao profundo conhecimento sobre os animais para criar uma história de delicia. Os personagens de "O Príncipe Caspian" proporcionam uma preciosidade de significado, suspende e humor, criando um ambiente onde a intensidade das experiências nos permitem darás contemplações de realidades e conceitos que nos parecem longínquos. Tal como beber água fresca numa fonte que descobrimos na montanha... numa altura em que temos sede!
Autor do Artigo :
Fernando Ascendo

2 comentários:

GetulioSantosAraujo disse...

Amém. Suas orações serão bem vindas. Deus abençoe o irmão.

Pedro Aurélio disse...

Paz do Sr., gostaria muito de o poder ajudar mas eu também vou ficar desempregado este mês .E também não tenho minguem mas acredito que Deus lhe vai restaura a sua saúde e vai por a sua vida em ordem. vou Orar a Deus sobre o seu problema , que Deus possa abençoar ricamente a si e as sua filhas e que
e a sua Esposa.
Um grande Abraço deste seu Irmão em Cristo.