04 junho, 2008

DIFICULDADES na vida cristã

A nossa vida é composta por desistências e continuidade, impossíveis!
Algumas amigas minhas dizem-me que quanto mais se chegam par: Deus, pior lhes corre a vida. Eu não acho que seja assim, embora já ma tenha acontecido de aumentar o tempo diário de oração e as coisas complicarem-se ainda mais. Qual a resposta para este problema o pseudo - problema? Como é que podemos explicar este fenómeno o] ajudar alguém que esteja a passar por esta tribulação
Quando as dificuldades aumentam e as coisas se complicam no nosso caminho, só temos duas opções: ou desistimos ou continuamos. Sim, sejam quais forem as dificuldades, quer no plano espiritual ou nos negócios terrenos, teremos sempre de optar pela desistência ou continuação. Não há outra alternativa possível!
A nossa vida é composta por desistências e continuidade. Devemos desistir do que é mau (e errado) e continuar naquilo que é bom. Não desistir dos bons objectivos pelo facto de se pensar que sejam difíceis ou Napoleão Bonaparte dizia que a palavra "impossível" só poderia existir num dicionário de loucos. Ora, um cristão nascido de novo tem motivos acrescidos para continuar a luta, pois possui o Deus dos impossíveis. Diz a Bíblia que tudo é possível ao que crê.
Como é lógico, se queremos ser vencedores certamente que optamos pela continuação, pela persistência, até atingirmos os objectivos pretendidos. Todavia, se algo não está a resultar em face dos processos utilizados, convém mudar de estratégia; pelo menos introduzir algumas alterações aos planos inicialmente propostos.
Os objectivos são todos atingíveis; depende das estratégias que utilizamos para lá chegar. Teremos, então, de estar disponíveis para mudar de estratégia. E essa mudança passa, muitas vezes, pela implementação de novos incrementa ou duplicação de esforços.
Há pessoas que estudaram estratega para nunca perder. Poderemos nJ aprender algo com elas, inclusivamente com as não crentes? Certamente o sim. em alguns aspectos. Por exemplo quanto à maneira como reagem diz dos desafios, sem desanimar n desistir, mas antes incrementando investimento. Quanto aos objectivos aos meios utilizados... cuidado, pr nem sempre serão os mais indicação para um filho de Deus!
D. Luís, antepenúltimo rei Portugal, descobriu um processo ganhar sempre. Claro que não era u maneira de ganhar na parte Espirito nem sequer em negócios normais. E ganhar dinheiro ao jogo e isso não convém ao crente cristão. Nem sequ deverá jogar! A "sorte grande" já m saiu quando aceitamos Jesus Cri" como único e suficiente Salvad Porém, poderemos aproveitar o mo como ele reagia quando perdia.
El-rei D. Luís iniciava o processo com uma unidade e duplicava sempre aí ganhar. Quando ganhava voltava princípio e duplicava novamente até nova vitória. Vamos imaginar que começava com um vintém, ou seja reis (1/50 do escudo). Se ganhasse jogo do "sim" ou "não" (branco preto) voltava a jogar um vintém e assim sucessivamente. Se perdesse jogos -dois, depois quatro, oito, dezasse trinta e dois... Quando ganhava ele lucrava sempre um vintém, ou seja, o valor inicial do investimento. Ao fim de um dia ou de uma noite ele tinha muitos vinténs ganhos! E foi assim que ele rebentou com várias casa de jogo no sudeste de França (actual Mónaco).
Muitas pessoas colocam as suas capacidades intelectuais a funcionar ao serviço das coisas deste mundo (alguns até mesmo ao serviço do mal). E nós, vamos fazer um "shunt" (ou by pass) ao cérebro e dizer que para Deus serve assim, já chega ou está tudo bem? Será que para Deus qualquer coisa serve?
espiritual as coisas ainda funcionam. O nosso Deus ouve e responde aos nossos pedidos.
No Evangelho de Lucas temos dois textos que nos falam da continuidade e persistência na oração. Tanto na parábola do 'Amigo Importuno" (Lucas I I) como no caso do "Juiz Iníquo" (Lucas 18) o Senhor Jesus Cristo diz-nos para nós continuarmos, persistirmos, batendo e pedindo porque aquele que pede recebe e a quem bate abrir-se-lhe-á.
O processo de D. Luís adaptado ou convertido ao sistema espiritual traduz-se, por exemplo, em investir mais na oração quando estamos a perder a batalha. E, se voltarmos a perder mais? Continuaremos a investir ainda mais até ganhar!
Se D. Luís persistia nas coisas terrenas... muito mais nós deveremos persistir nas coisas espirituais!
É verdade que os filhos das trevas são mais prudentes do que os filhos da luz, mas vamos também usar de alguma prudência e sabedoria. Não quero dizer que se duplique o tempo de oração ou leitura bíblica (pode ser apenas um pequeno acréscimo), mas também, quando ganhamos (recebemos a resposta divina) escusamos de voltar ao ponto de partida, reduzindo substancialmente o investimento!
Há pessoas que não têm paciência para esperar em Deus; investir na oração e aguardar a resposta divina. Pretendem coisas rápidas, respostas imediatas e para isso vão à bruxa, ao astrólogo ou à cartomante. É o equivalente a certo tipo de jogadores viciados que gostam de arriscar tudo de uma vez, ganhar tudo ou perder tudo apenas numa jogada!
Falei do método de D. Luís a alguns jogadores. Acharam que aquilo não provocava fortes emoções, não dava prazer algum. Não era jogo mas sim um trabalho demorado. "Ou tudo ou nada!" Disseram-me. Pois, é isso mesmo, tudo da primeira ou segunda vez e nada na última jogada, de modo a regressarem a casa completamente vazios.
Igualmente, no aspecto espiritual, aqueles que enveredam por processos rápidos perdem tudo rapidamente.
Desistir não é viável para os filhos de Deus. Não vamos optar pela desistência mas pela continuação, alterando os planos inicialmente propostos. E essa alteração pode passar por um melhor investimento, neste caso, na oração. Se nos chegarmos mais para Deus e, mesmo assim as coisas não se resolverem, então podemos ainda aumentar esse investimento! De algum lado as coisas vão ceder! Que não seja do nosso lado!
Actualmente o sistema de D. Luís poderá estar obsoleto e não ser viável. Os casinos tomaram já as suas precauções estabelecendo paradas mínimas que poderão ser incomportáveis com as respectivas duplicações. Porém, no aspecto espiritual as coisas ainda funcionam. O nosso Deus ouve e responde aos nossos pedidos.
No Evangelho de Lucas temos dois textos que nos falam da continuidade e persistência na oração. Tanto na parábola do 'Amigo Importuno" (Lucas I I) como no caso do "Juiz Iníquo" (Lucas 18) o Senhor Jesus Cristo diz-nos para nós continuarmos, persistirmos, batendo e pedindo porque aquele que pede recebe e a quem bate abrir-se-lhe-á.
Autor do texto bíblico
Agostinho soares

2 comentários:

Tânia disse...

Que ano de 2007 te devolva os teus sonhos em triplicado e os teus desejos infinitamente realizados sejam felizes

recifelisboa disse...

εïз    Não deixe que a saudade sufoque,
 (ï/)        que a rotina acomode,
 (/l)    εïз   que o medo impeça de tentar.
   ,,,,  ♪       Desconfie do destino e acredite em você.
   ( '<          Gaste mais horas realizando que sonhando,
   / ) )   (ï/)    fazendo que planejando,
    / ,´,  (/l)     vivendo que esperando,
  /| ***     @@    porque, embora
ww (___)  ,;;, _/,w,  quem quase morre esteja vivo,
)_(   |    )_( |/(_)  quem quase vive já morreu...
|/   |/  |/ |/ |/   (Luiz Fernando Veríssimo)
|/   |/  |/ |/ |/
██♥██♥██♥██♥██♥█- ♥██
██♥██♥██♥██♥██♥█- ♥██♥ TENHA ♥
██♥██♥██♥██♥██♥█- ♥██
██♥██♥██♥██♥██♥█- ♥██♥ UM LINDO ♥
██♥██♥██♥██♥██♥█- ♥██
██♥██♥██♥██♥██♥█- ♥██ ♥ FERIADO !!!