17 maio, 2008

Grande Decisão

Decisões — umas mais importantes que outras — todos os seres humanos são obrigados a tomavas com frequência. No entanto, existem momentos em que a decisão a tomar é de um fórum mais elevado, carecendo da nossa parte de uma apreciação profunda e realista.
Será que o leitor está preocupado com decisões de menor importância, em vez de se preocupar em tomar aquela que poderá ser a maior decisão da sua vida?
Na Bíblia encontramos muitos homens e mulheres que, ao terem de tomar a grande decisão das suas vidas, escolheram a melhor parte. Dentre muitos, gostaria de salientar a pessoa de Moisés, consoante lemos no trecho bíblico de Hebreus 11:24 a 26.
A maior decisão da sua vida implicou ousadia, sendo convicta, pública e irreversível. Não podemos esquecer que Moisés era uma figura pública, pois. fora criado pela filha de Faraó!
A grande decisão de Moisés teve como base determinadas atitudes, acerca das quais interessa orar.
1 — DECISÃO QUE IMPLICA UMA AVERIGUAÇÃO.
Tendo em conta a grande distancia que separava a cultura e a relegiao em que moies fora instruído daquilo que os seus antepassados viveram e observavam é legitimo admitir quer procuro estudar mais de perto as suas origens e cultura , e saber mais acerca do Deus dos seus pais. Em seguida reflectiu sobre a sua própria vida com o propósito de determinar fundamentos para estabelecer convicções pessoais.
Por outras palavras, ele não se contentou em viver de experiências herdadas, mas procurou adquirir valores e convicções pessoais. Por isso foi capaz de tomar uma decisão que mudou toda a sua vida. Ele deixou de lado um destino, de carácter meramente terreno, por uma vida de esperança.
Convém acrescentar que é ao leitor deste artigo que cabe averiguar a situação da sua vida. Convido-o a fazer uma introspecção a fim de ter a certeza se aquilo que aprendeu de Deus, através dos seus familiares, o satisfaz plenamente. Estude, analise, reveja os seus fundamentos interiores. Se no final tudo for vago, oco, movediço, é altura de tomar a grande decisão de receber Aquele que verdadeiramente conhece a sua necessidade mais profunda.
2 — DECISÃO QUE IMPLICA UMA CONSCIENCIALIZAÇÃO.
Moisés preferiu ser maltratado (ao identificar-se como crente) a usufruir o prazer passageiro de uma vida em constante e crescente pecado.
Para tomar a decisão de seguir determinado caminho é preciso estar consciente da definição concreta da nossa posição. É preciso também estar cônscio do estado espiritual em que nos encontramos, contribuindo isso para a manutenção duma consciência pura e aberta à operação sobrenatural de Deus.
Seja honesto consigo mesmo, esteja ciente da sua condição espiritual, não seja inconsequente, mas admita que está rodeado de fraqueza sendo Cristo a solução!
3 — DECISÃO QUE IMPLICA
UMA AVALIAÇÃO. O texto de
Hebreus 11:26 relata haver feito Moisés uma avaliação dos prós e dos contras que rodeavam a sua grande decisão. Para ele, os valores espirituais falaram mais alto que as riquezas imperiais — estatuto real, gozo temporal, enfim, os valores essencialmente terrenos.
Prezado leitor: avalie a sua vida e medite acerca do que tem sido a tónica das suas decisões. Com certeza chegará à conclusão que se tem pautado por motivações essencialmente materiais.
Agora tem a oportunidade de avaliar e decidir o que é melhor para a sua alma, isto é, aquilo que verdadeiramente o fará feliz, realizado e esperançoso. Se tomar a grande decisão, atribuindo-lhe o valor que ela merece, receberá do Senhor Jesus Cristo muito mais (e melhor) do que o mundo inteiro pode oferecer!
4— DECISÃO QUE IMPLICA UMA APLICAÇÃO.
Moisés investigou, tomou consciência definindo a sua posição, avaliou as consequências, mas sobretudo aplicou a sua decisão na prática. Ele estava teoricamente esclarecido acerca da grande importância da decisão tomada; no entanto, mais do que isso, era necessário que pusesse em prática a teoria.
A aplicação prática foi a consumação da maior decisão da vida de Moisés. Ele recusou ser chamado "filho da filha de Faraó", e escolheu viver com o povo de Deus, passando assim a pertencer ao Deus vivo que o recompensaria.
Se o leitor está esclarecido a respeito do que o condena, do que precisa fazer e do caminho que deve escolher, urge agora experimentar a presença de Jesus e viver com o povo que caminha para o Céu. Não fique nas intenções e muito menos na indiferença. Sabendo qual é o remédio, use-o (aplique-o) e será espiritualmente sarado, restaurado, abençoado por Deus.
Esta grande decisão está, caro leitor, na apreciação global da sua vida; na conclusão que o leitor chegou e aplicou; na sua mão!
Autor do Artigo ,
ROGÉRIO FREITAS

Sem comentários: