23 junho, 2008

Ioga E MEDITAÇÃO TRANSCENDENTAL

Fundador da Meditação Transcendental foi Mahesh Prasad Warma, que mais tarde ficou conhecido como Maharishi Yogi. Depois de concluir a sua formação universitária em física, tornou-se discípulo do guru Dev, o qual foi o seu grande inspirador na criação desta forma de meditação voltada para as massas. Esta técnica foi construída com base nos Escritos Védicos (que são os escritos principais da religião Hindu).
Maharishi Yogi devotou a sua vida a expandir os seus ensinos pelo o mundo. Com esse alvo em mente fundou, em 1958, o Movimento de Regeneração Espiritual na índia, tendo-se posteriormente estabelecido nos Estados Unidos da América (cumprindo a tarefa de espalhar o evangelho do guru Dev).
Na actualidade, muitos milhões de pessoas em todo o mundo foram instruídas nas práticas de meditação promovidas por Maharishi Yogi. Estas técnicas tem sido apresentadas como não -religiosas, embora as mesmas estejam completamente imbuídas no Hinduísmo.
A propaganda de saúde melhor, de uma auto-imagem melhorada, de inteligência e criatividade desenvolvidas, vitória sobre o stress, etc, é algo que a todos atrai e que todos nós desejamos - isso é o que, supostamente o Ioga/Meditação tem para oferecer.
O mais extraordinário é que, de acordo com os seus líderes, isto poderia ser realizado por qualquer pessoa dentro de qualquer sistema religioso ou não, pois a Meditação transcendental não teria quaisquer bases religiosas.
Esta é uma mensagem que tem abrangido pessoas de todos os quadrantes, as quais têm praticado a meditação. Actualmente, em qualquer ginásio, a mesma é oferecida como mais uma prática de natureza desportiva.
"Ela (Palavra de Deus) é a Única
fonte de verdadeira paz e satisfação emocional, intelectual e espiritual."
Apesar disto, devo dizer que a Meditação Transcendental não é uma disciplina neutra que possa ser posta em prática sem qualquer dano para a pessoa. Na realidade, o Ioga é uma técnica de meditação hinduísta que tenta unir aquele que medita com o Brahman (a principal divindade Hindu ou o conceito de divindade no Hinduísmo).
Transcrevo uma parte da Puja que é lida (em sânscrito) pelos instrutores nas cerimónias de iniciação á meditação:
perfeição, dia e noite, adornados com glória incomensurável, preceptor do mundo inteiro, tendo-nos encurvado a ele, obtemos realização (...)."i
Diante desta descrição iniciática fica transparente quais os objectivos da meditação apresentada por Yogi - promoção duma adoração, ainda que escondida, aos deuses do Hinduísmo.
Maharishi Yogi nunca escondeu as suas crenças religiosas. Para ele o ser supremo era claramente identificado com a natureza: "Tudo na criação é a manifestação do ser impessoal, absoluto, não manifestado, o Deus omnipresente"2; "Esse Deus impessoal é aquele ser que reside no coração de todos."3
Ao afirmar isto não é, pois, de estranhar que o homem seja claramente identificado com o divino: "Cada indivíduo, em sua verdadeira natureza, é o Deus impessoal".4
Como é óbvio, esta visão do mundo, apresentada pelo criador do Ioga e que se encontra presente na prática da meditação, é totalmente incompatível com uma visão cristã do mundo. A Bíblia claramente ensina que Deus é infinito e que o Homem é finito; que o homem nunca se pode tornar deus, pois faz parte da criação. O homem é uma criatura e Deus é o único Criador.
O senhor Maharishi Yogi, também apresenta uma visão distorcida de Jesus Cristo, negando abertamente o facto de Cristo alguma vez ter sofrido.
Mais uma vez, a visão Bíblica é completamente contrária à da doutrina Hindu promovida pela Meditação Transcendental. Cristo é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, e que veio servir a Humanidade oferecendo a Sua vida para salvação de muitos.
Ao concluirmos esta pequena apresentação do tema, devemos dizer que a meditação transcendental/Ioga afirma-se como um método de relaxamento de crescimento pessoal, sem quaisquer efeitos secundários, mas, na realidade, ela pode representar uma ameaça para as pessoas a nível emocional e, especialmente, espiritual.
Existe, sem dúvida, uma alternativa cristã que é a meditação na Palavra de Deus. Ela é a única fonte de verdadeira paz e satisfação emocional, intelectual e espiritual. Não é por acaso que a Bíblia nos desafia, vezes sem conta, a meditarmos nas suas letras de dia e de nnitp

Autor do Artigo ;

Revista novas de Alegria

1 comentário:

Escola de Yôga disse...

Olá!

Eu pratico um Yôga mais Naturalista e prático. O SwáSthya Yôga