10 maio, 2008

No meio de pecadores

Nos dias que correm as pessoas tornam-se cada vez mais preconceituosas! A sociedade descrimina o seu próximo, diz que ele não é suficientemente bom! A sociedade exige que a pessoa mude antes de ser inserida na mesma; a sociedade exige que um drogado o deixe de ser antes de ser inserido na mesma! A prostituta, que depende do seu "trabalho" para sobreviver, tem de deixar a sua "vida" antes de poder mudar! O viciado em jogo não deve constituir família antes de se livrar do vício! O alcoólico tem de deixar o álcool antes de ser inserido no mundo quotidiano! As pessoas têm de mudar para que possam viver! Quem não obedece a estes padrões fica excluído da sociedade e passa a ser alguém, para os que o rodeiam, com um conceito definido, ainda que aqueles que o rodeiam não o conheçam! Chama-se a isso preconceito!
Nos tempos de Jesus existia um sem número de preconceitos! Alguns desses preconceitos colocavam pessoas de parte da sociedade! Existiam preconceitos sobre os Galileus, porque eram pouco instruídos nas escrituras; sobre os leprosos, porque eram amaldiçoados por Deus; sobre todos os doentes; sobre os médicos; sobre os possessos; sobre as mulheres; sobre todos os que não fossem judeus; sobre os publicanos porque cobravam acima das taxas que os romanos impunham; sobre os nazarenos e poderíamos continuar a colocar preconceitos e faríamos uma lista sem fim. Quem tivesse o azar de se incluir num deste grupos, independentemente do seu valor como pessoa, automaticamente era excluído, não prestava.
Mateus era um publicano, alguém considerado um traidor para os Israelitas. Roma governava Israel; Israel não aceitava o governo de nenhuma nação, pois Deus era o seu rei; eles ansiavam pelo filho de David!
Os romanos cobravam a cada israelita uma taxa. Essa taxa era paga aos publicanos; judeus que tinham passado para o lado dos romanos, trabalhando para eles, o que, logicamente, aos olhos dos outros eram horrível, eram traição!
Para além de trabalharem para os romanos, os publicanos cobravam acima da taxa imposta, ganhando assim muito dinheiro daqueles que eram seus irmãos! Foi por essa razão que João disse aos publicanos, "Não cobreis mais do que o estipulado" (Lucas 3:13).
Seria possível que alguns publicanos não o fizessem, mas ainda que assim fosse eram descriminados pela profissão que exerciam! É interessante notar que João não disse "deixem a vossa profissão", mas somente os avisou para não cobrarem acima do que estava imposto.
No entanto Jesus, Deus em forma de homem, no dia em que viu Mateus no seu local de trabalho, no local que o colocava como traidor, chamou-o! Deus não fez descriminação; Deus não teve preconceito quando se cruzou com aquele homem!
Será que alguém já pensou o quanto ele sofria interiormente; será que alguém já pensou que ele tinha uma família para sustentar e que tinha de ganhar dinheiro; será que alguém pensou que ele poderia não ter tido alternativa. Jesus foi fantástico! Não olhou para o que Mateus era! Olhou sim, para o que Ele ia fazer de Mateus!
Lembram-se de Zaqueu? O "maioral dos publicanos e rico" (Luxas 19:2)! Se ser publicano era ser pecador! Ser o maioral dos publicanos era ser o maioral dos pecadores, dos traidores!
Mas esse homem PROCURAVA ver Jesus! Aquele homem que fazia o que não devia, PROCURAVA ver Jesus!
Quando Jesus entrou na casa de Zaqueu as pessoas disseram o que pensavam de Zaqueu! Eles disseram que Jesus "se hospedara com homem pecador." (Lucas 19:7) Era assim que olhavam para ele!
No entanto, Jesus, Deus em forma de homem, entrou na casa de Zaqueu. O choque aconteceu! Alguém foi contra o que a sociedade definia como incorrecto! Pior, não foi um homem qualquer! Foi Deus, aquele que não pode contemplar o pecado, sentou-se com o pecador!
A sociedade evoluiu! Hoje estar com alguém à mesa não tem grande significado! As relações não se constroem assim. As relações são construídas à distância. Por telefone, por internet, carta, por um sem número de meios que possibilita "uma relação" sem "relacionamento".
Na era de Jesus, comer à mesa com alguém significava aceitá-la totalmente como ela estava; significava amá-la como ela era; desejá-la como ela estava! Daí o choque! A sociedade contemporânea criticou Deus, porque este entrara numa casa e sentara-se à mesa com os pecadores. Foi isso que aconteceu quando "estando ele em casa, à mesa, muitos publicanos e pecadores vieram e tomaram lugares com Jesus e seus discípulos" (Mateus 9:10), a sociedade religiosa, os que ditavam o que era certo e errado criticaram Jesus, criticaram a forma de Deus actuar! Ora, vendo isto, os fariseus perguntavam aos discípulos: Por que come o vosso Mestre com os publicanos e pecadores"? Porquê? Porque Jesus, Deus, estava a aceitar aquelas pessoas da forma como estavam! Porque Jesus, Deus, queria a companhia daquelas pessoas que percebiam quão frágeis eram, quão descriminadas eram! Pessoas que sabiam que por elas próprias nada poderiam fazer para mudar as suas vidas! A única possibilidade era confiarem em alguém que os pudesse ajudar! Em Jesus, os pecadores viram a ajuda; em Jesus, os pecadores viram a aceitação; em Jesus, os pecadores viram que Deus os amava; em Jesus, os pecadores viram que Deus quer estar com eles, relacionar-se com eles! Fantástico aquilo que Jesus veio fazer!
É possível que para muitos de nós isto não seja novidade! É possível que muitos já tenhamos entendido como é que Jesus se comportou com os pecadores! Mas é também possível que muitos não se tenham apercebido de algo! De um pormenor! Daquelas coisas que por vezes lemos mas não reparamos, não valorizamos!
Quem estava à mesa? Jesus! Sim! Correcto! Quem estava à mesa? Os pecadores! Sim! Correcto! Quem mais estava à mesa? Os discípulos! Sim! Correcto! E daí? Qual é o ponto? Uma grande verdade! Não são os discípulos o inicio da Igreja? Se são, então a igreja, no seu inicio aprendeu a aceitar os pecadores! Os discípulos também comiam com eles, relacionavam-se com eles!
Qual é a situação que pretendo levantar? No inicio disse que a sociedade criou um sem número de preconceitos! Prostituas, alcoólicos, homossexuais, divorciados, viciados em jogos, adúlteros, são pessoas a evitar contactar! Não prestam!
Ao olharmos para a forma como Jesus lidou com isso, apercebemo-nos que foram essas pessoas que melhor receberam a graça de Deus! Pessoas que sabiam que eram o que eram, pecadoras; e que nada poderiam fazer para por elas próprias se mudarem! Jesus aceitou-as como estavam, na esperança e no desejo de que no futuro, através do Seu relacionamento com eles, estes mudassem! Mas isso era Jesus! Isso era Deus! Mas o pior é que foi assim que a Igreja aprendeu! Os discípulos comiam à mesa com os pecadores na presença de Jesus!
Hoje a igreja vive dias em que mostra mais o legalismo que a graça de Deus! Queremos que o alcoólico deixe de o ser antes de entrar na igreja! Não percebemos o que Jesus veio fazer. Queremos que a prostituta deixe de o ser antes de entrar na igreja! Queremos que o viciado em drogas, jogo, sexo, deixe o vicio antes de entrar na igreja! Queremos que o homossexual deixe de o ser antes de entrar na igreja! Quando vamos entender que é ao contrário! Eles (todas estas pessoas) que venham como estão e graça de Deus se há-de manifestar neles a ponto de os mudar! Porque "Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes (Mateus 9:12)" e "onde abundou o pecado superabundou a graça" (Romanos 5:20)

Autor do Artigo ;
Daniel Aurelio

1 comentário:

Paulo Silvano disse...

Caro Pedro Aurelio ,
O mundo sempre foi assim, mas tende a piorar porque a Igreja ensimesmada já não consegue mais ser sal e luz. Alguma mudança precisa ser feita. Não basta fazer apologética, penso que pouco adianta nos tornarmos guardiões de uma doutrina se através dela não conseguimos praticar as verdades do sermão do monte. É preciso mudança de paradigma. Precisamos nos curvar ante o Evangelho de Jesus para descobrirmos onde caímos , pois, como vc mesmo postou, a igreja primitiva não era assim.

Um abraço,
Paulo Silvano