08 março, 2006

FUNDAMENTOS DA NOSSA CONFISSÃO Mistério (2)

Colossenses 2. 1 ¶ Gostaria, pois, que soubésseis quão grande luta venho mantendo por vós, pelos laodicenses e por quantos não me viram face a face; 2 para que o coração deles seja confortado e vinculado juntamente em amor, e eles tenham toda a riqueza da forte convicção do entendimento, para compreenderem plenamente o mistério de Deus, Cristo, 3 em quem todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos. O mistério de Deus, Cristo.

Primeira Epístola de Paulo aos Coríntios, cap. 2. Vamos ler a partir do verso 6. 6 ¶ Entretanto, expomos sabedoria entre os experimentados; não, porém, a sabedoria deste século, nem a dos poderosos desta época, que se reduzem a nada; 7 mas falamos a sabedoria de Deus em mistério, outrora oculta, a qual Deus preordenou desde a eternidade para a nossa glória; 8 sabedoria essa que nenhum dos poderosos deste século conheceu; porque, se a tivessem conhecido, jamais teriam crucificado o Senhor da glória; 9 mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. 10 Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus. A sabedoria de Deus em mistério, outrora oculta.

Vamos orar.

Querido Pai. Nós nos colocamos em absoluta confiança diante do Senhor, debaixo da Tua provisão, debaixo da Tua habilitação e suficiência, para que o Senhor nos conceda o privilégio de tocarmos a Ti mesmo uma vez mais através da tua palavra. Desejamos que a palavra escrita opere em nós como palavra viva, espada afiada de dois gumes. Queremos acolhe-la em nossos corações porque ela é poderosa para salvar as nossas almas. Nós nos colocamos nessa condição, diante de Ti, confiados Senhor, unicamente no acesso que temos por meio do nosso Senhor Jesus. Cobre-nos com o Teu precioso sangue, e fala-nos ao coração, em nome de Jesus. Amém.

Irmãos, hoje nós vamos ter o último período com relação a essa abordagem panorâmica que nós estamos fazendo a respeito aos Fundamentos da nossa Fé. Eu disse aos irmãos que nós iríamos usar quatro períodos, sendo este o último, para que depois quando retornássemos, após o nosso irmão Nilton, liberar o seu encargo diante do Senhor nesse estudo que ele tem tido desejo, nós então iremos retornar a esse ponto calmamente.

Os irmãos se lembram que nós falamos a respeito da confissão da nossa fé, os alicerces da nossa confissão. Irmãos, é claro que esses oito itens que eu citei, eles de forma alguma esgotam o assunto. Apenas rapidamente para que você tenha um entendimento desse mapa de uma forma mais clara, nós colocamos oito itens, e eu vou repeti-los aqui apenas em seqüência rápida, porque eu gostaria de dizer que esses oito itens, embora eles sejam a essência, é claro que eles não esgotam nem mesmo aquilo que é essencial. Eles são a essência mas não esgotam o que é essencial, porque unidos a eles, e nós vamos ver depois com mais detalhes, existem doutrinas muito importantes, essenciais mesmo na palavra, que não foram diretamente mencionadas nesses oito pontos. Acho que então nós poderemos agregar e é o que faremos quando voltarmos a esse ponto. Vamos agregar essas doutrinas a esses pontos essenciais.

Então eu vou citar um exemplo para os irmãos. Quais foram esses oito alicerces de nossa confissão que nós citamos aqui. O primeiro deles é a Trindade. É uma das mais grandiosas revelações de toda a Bíblia, o Deus Triuno. Uno em essência, trino em pessoa. Sem essa visão nós não compreendemos a revelação Bíblica em hipótese alguma. Nada que decorre dessa revelação, pode ser compreendido sem esse foco. Não compreendemos encarnação - quem que se encarnou? - nós não compreendemos a Expiação - quem morreu por nós?, sem compreendermos a Trindade - Quem é Deus? Então por isso nós temos essa ordem. Primeiro a Trindade. É uma das revelações mais grandiosas da Bíblia. Primeiro alicerce.

Depois nós vimos Encarnação. Uma seqüência. O Filho, a segunda pessoa da Trindade, se encarnou. Então encarnação, segundo alicerce. O terceiro que nós citamos, a Expiação. Esse Filho que se encarnou, Ele não caiu na terra apenas para exercer o ministério terreno. Ele caiu na terra para: morrer!! Se o grão de caindo em terra não morrer, fica só. A vida do Senhor é uma vida destinada à morte. Então, Expiação é o terceiro alicerce. Trindade, Encarnação, Expiação. Depois o quarto alicerce que nós citamos: Justificação pela Fé. Agora nós estamos vendo os benefícios decorrentes da Expiação. A primeira verdade importante, como conseqüência da Expiação, é a Justificação pela Fé, sem a qual nós também perdemos de vista, todas as outras. Não compreendemos o que é salvação sem a justificação pela fé, não compreendemos o que é a santificação, não compreendemos nada, sem um conceito adequado de justificação pela fé. Então esse seria o quarto alicerce. Depois o quinto nós colocamos debaixo do nome de Ressurreição. Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa fé, e ainda permanecemos nos nossos pecados. Foi isso o que Paulo disse. Ressurreição é um alicerce. Se Cristo não ressuscitou, nós pregamos em vão, nós vivemos em vão. É pela sua ressurreição que Ele pôde repartir a sua vida com a igreja. Se Ele fosse retido pela morte, Ele não teria vida a repartir, não teria vida a nos dar. Então a ressurreição é um alicerce, um quinto alicerce. Depois nós falamos sobre o Espírito Santo. Sexto alicerce. O Espírito Santo é um tremendo alicerce da nossa confissão. Todos aqueles que não compreendem bem a doutrina do Espírito Santo, não compreendem bem a vida cristã, nem a natureza da igreja. Então o Espírito Santo é o sexto. Depois nós falamos sobre o sétimo, o Corpo de Cristo, a igreja. Tremendo alicerce da nossa confissão. Precisamos compreender bem a igreja, o que é a igreja, a natureza da igreja, a vida da igreja, o governo da igreja, o ministério da igreja, o ministério do corpo, verdades essenciais na nossa confissão. Então o sétimo alicerce seria o corpo de Cristo. O oitavo alicerce, seria o supremo propósito de Deus. Uma visão ampla desse conjunto todo, como que nós juntamos essas peças, cada uma no seu lugar: O Supremo Propósito. Seria esse o oitavo alicerce. Nós falamos que paralelo a todos esses oito, nós iremos abordar alguma coisa sobre a palavra escrita de Deus, a Bíblia, esses sessenta e seis livros que são um só, que nós temos então em nossas mãos. A auto-revelação de Deus, a Bíblia Sagrada, esse tremendo livro, que nós colocamos aqui como um paralelo a esses oito alicerces, por que? Porque é da Bíblia, que nós tiramos todos os oito. Sem a Bíblia como que nós compreenderíamos a Trindade. Sem a Bíblia como que nós compreenderíamos a encarnação? Sem a Bíblia, como que nós compreenderíamos a Expiação, a Justificação pela Fé? Então a Bíblia ela é o fundamento, ela é a fonte de todos esses oito alicerces.

Agora, eu disse para os irmãos então que, embora essenciais, esses alicerces não esgotam a essência. E o que eu quis dizer com isso, vou citar um exemplo. Se você tomar, por exemplo, o terceiro alicerce, a Expiação, você vai ver que tem pelo menos duas grandes verdades essenciais, que estão debaixo desse teto, debaixo desse teto chamado Expiação. Temos pelo menos duas grandes e essenciais verdades Bíblicas e que eu não citei aqui no meio dessas oito, porque elas se encaixariam debaixo do teto dessa terceira, chamada Expiação. Vou citar dois exemplos; a grande doutrina bíblica da queda. Irmão a queda é uma doutrina essencial. Se nós somos cristãos bíblicos, nós cremos na queda. A queda é uma doutrina fundamental, mas nós colocamos debaixo do teto do terceiro alicerce, Expiação, porque Cristo realizou expiação, exatamente porque o homem caiu. Se o homem não tivesse caído, não precisaria expiação.

Então, debaixo do alicerce expiação nós teríamos esse outro grande alicerce: a doutrina da queda do homem. Mais um debaixo do mesmo teto da expiação. Uma grande doutrina bíblica, a doutrina do pecado original. Os cristãos bíblicos, evangélicos, crêem no pecado original. Não crêem nessa maneira psicológica de se ver o homem. “O homem nasce bom, ou pelo menos com um potencial bom. Ele precisa apenas ser criado em um ambiente bom, para que ele dê bons frutos”. A Bíblia não ensina isso. A Bíblia ensina que o homem nasce mau, completamente depravado, destituído da glória de Deus, e debaixo da ira de Deus. Essa é a doutrina do pecado original. Nós morremos em Adão. Nós pecamos em Adão. Em Adão todos morrem, é o que Paulo diz em Romanos. Isso é uma grande doutrina bíblica. Irmão, qual é a sua posição com relação a essa doutrina? Você tem uma fé psicológica ou uma fé espiritual? Você crê na doutrina do pecado original? Você crê que aquele nenenzinho que você vê no berço e fala assim: “Que anjinho”!! Na verdade é um grande pecadorzinho. Na medida em que ele for crescendo, crescendo ele vai produzir pecado, pecado, pecado e pecado. Isso é só o que ele vai fazer, sem ninguém ensinar para ele. Isso é o que se chama doutrina do pecado original, e por isso, o Senhor Jesus realizou Expiação. Então os irmãos vejam que debaixo desse terceiro alicerce chamado expiação, debaixo desse teto grandioso, nós temos também verdades que são essenciais. Então achei necessário dar essa explicação para você, para que você não ache que os oito alicerces esgotam absolutamente o assunto. Mas, os oito alicerce são as essências de tal forma que você vai poder colocar todos, todos os assuntos bíblicos essenciais, debaixo dos oito alicerces, e é isso que nós vamos procurar fazer quando retornarmos a isso. Amém? Ficou claro?

Vamos voltar então e dar um passo a mais do que nós fomos na reunião anterior. Na reunião anterior, o que é que nós fizemos? Nós procuramos sair desse olhar de frente, para esses oito alicerces e buscarmos um olhar de costa, digamos assim. Não é? Nós procuramos ver que essa questão, esses alicerces da nossa fé, da nossa confissão, eles são abordados na Bíblia debaixo do nome “mistério”. Lembra? Então na reunião passada , na verdade, nós analisamos um único texto, não tivemos tempo para mais. Apocalipse 10:7. E nós vimos que aquele texto diz que quando aquele sétimo anjo tocar a sua trombeta, a sétima trombeta então, João, no seu livro da revelação apocalíptica, ele diz assim: Então, quando o sétimo anjo tocar a sétima trombeta, se cumprirá – no singular - o mistério de Deus. Ele fala então de um grande mistério, no singular. O mistério de Deus vai se cumprir. Quando? Quando o sétimo anjo tocar a trombeta. Aí nós fomos em Apocalipse 11:15 procurar ver quando que esse último anjo vai tocar essa trombeta. E nós vimos que esse último anjo vai tocar essa última trombeta, imediatamente antes do milênio. Imediatamente antes do Senhor Jesus ser revelado visivelmente, não ocultamente, não só para a igreja naquela vinda oculta, mas quando Ele se revelar a todo olho sobre a terra, e estabelecer o seu Reino nessa terra. Então Apocalipse 11:15 nos explica o cap 10:7, que diz assim que quando o sétimo anjo tocou a trombeta, ouve-se vozes no céu. E aquelas vozes diziam assim: “O reino do mundo se tornou do Senhor e do seu Cristo e Ele reinará pelos séculos dos séculos”. A voz que antecede o milênio, o Reino de Cristo nessa terra. Não é? Então agora nós compomos um quadro. O mistério de Deus, irá se cumprir em plenitude, antes do Senhor Jesus se revelar a essa terra e estabelecer o seu reino. Isso já ficou claro em Apocalipse para nós. Agora nós estamos fazendo perguntas para trás, e não para a frente, porque para frente o assunto é o Reino: o Senhor vai reinar junto com os seus santos. Vamos fazendo perguntas para trás.

O que é o Mistério de Deus? Apocalipse 10:7 diz que esse mistério vai se cumprir em plenitude quando o Senhor Jesus se revelar, e estabelecer o seu Reino. O mistério de Deus se cumprirá. O que é o mistério de Deus? Agora vamos então fazendo perguntas para trás. Vamos ver alguns textos. O primeiro foi o que li para abrir a reunião. Olhe o que Colossenses 2 diz então sobre o mistério de Deus. Colossenses cap. 2, final do versículo 2. Irmãos, para Paulo era tão tremenda essa visão do mistério de Deus, e do que compunha esse mistério, que quando ele ora pelos colossenses e não apenas por eles, ele diz aqui, mas também pelos de Laodicéia, os laodicenses, e por outros mais que não haviam visto Paulo face a face, ele diz isso aí no verso 1, olha como ele ora no verso 2: “para que os seus corações sejam confortados, sejam vinculados, tenham vínculo, estejam juntos, amarrados, ligados uns com os outros. Sabe por que? Ninguém vai poder compreender o mistério de Deus, com clareza, sozinho. Ninguém. Ninguém tem suficiência para isso. Nós somos apenas homens. E no corpo nós somos apenas membros. Eu preciso estar vendo com mais clareza através de um irmão daqui, um irmão dali, outro irmão de lá, ministérios, dons de Deus à igreja, como Paulo fala mesmo em Efésios, porque através, especialmente desses ministérios, especialmente e não somente, mas especialmente, apóstolos, profetas, evangelistas, pastores, mestres, o corpo de Cristo sendo enriquecido na visão do mistério de Deus, então Paulo usa a palavra vinculados. Os irmãos veja que a igreja não pode ser vivida, experiência da igreja, numa vida isolada. Não é? Nós somos corpo e como corpo, nós precisamos viver. Nós somos membros de um corpo, e como membros nós precisamos viver. Então Paulo fala assim: vinculados, juntamente, em amor, e tenham toda a riqueza da forte convicção do entendimento. Paulo parece que não tem palavra, não é? Ele está acumulando palavra em cima de palavra. Ele não fala só entendimento, nem só convicção de entendimento, mas uma forte convicção de entendimento e ainda não só isso, mas uma riqueza, da forte convicção do entendimento. Palavra demais para dizer uma coisa só. Os irmãos vão vendo que ele vai acumulando palavras. A riqueza da forte convicção do entendimento. Tão grande é esse mistério? Não é? Para que vocês compreendam plenamente. Olhe a palavrinha plena que Paulo gosta tanto, derivado do pleroma grego, plenitude, não é? Pleno. Compreender em plena mente. O quê? O mistério de Deus. Lá em Apocalipse diz: Quando o sétimo anjo tocar a trombeta, cumprirá o mistério de Deus. Ele vai se cumprir lá, mas ele já é uma realidade agora. Esse mistério de Deus é uma realidade há dois mil anos. Esse mistério de Deus já é um mistério aberto. Não é um mistério oculto, é um mistério rasgado, um mistério revelado. Paulo fala para os Efésios que foi revelado aos santos apóstolos e profetas no espírito. Então hoje nós vamos usar o nosso tempo para ir assim, andando para trás, e vermos várias menções no Novo Testamento da palavrinha mistério e vermos como que cada menção nos ajuda a compreender um pouquinho do que esse maravilhoso mistério significa. Irmão, se nós não tivermos tempo para fazer tudo isso essa noite, eu queria que você pegasse uma concordância bíblica, uma chave bíblica, e não deixasse de fazer isso por você mesmo. Não deixe. Busque na sua chave bíblica a palavrinha mistério. E leia todos os versículos onde essa palavra aparece. Você vai ver que você vai estar montando como que um quebra cabeça. Esse mistério da piedade, esse mistério da fé, esse mistério do Evangelho, esse mistério da palavra de Deus, esse mistério de Cristo, esse mistério de Deus, esse mistério da fé. Todas essas palavras são usadas e você vai ver que em cada versículo que menciona essa palavrinha, você ganha uma maior compreensão do mistério, no singular, e não dos mistérios, como se Deus tivesse um mistério aqui, outro mistério lá, e nós fôssemos pulando de mistério em mistério. Esse não é o nosso Deus. Isso é o esoterismo. Essa é a doutrina do rosa cruz, do eubiota, do maçon, mas não da igreja. Igreja não vai de mistério em mistério. A igreja tem uma revelação única de um único mistério que é multicolorido, multifacetado, mas um único mistério. Então nós olhamos por um lado, olhamos por baixo, olhamos por trás, olhamos por cima, o mesmo mistério. Então a palavra mistério é usada como que holofotes, lançando luz sobre o mesmo mistério. Por isso você vê no singular. O mistério de Deus. Cumprir-se-á o mistério de Deus. Único. E aqui em Colossenses, “o” de novo, o mistério de Deus. Vamos prosseguir a partir daqui. Aqui já vai nos ajudar com a próxima palavra Cristo. Não é? Qual é o mistério de Deus? Os irmãos já estão vendo que tem muitas facetas esse único mistério. Mas se nós formos usar uma única palavra para resumir esse mistério, qual seria a palavra? Seria essa próxima desse versículo. Cristo. Agora, no próximo texto que nós iremos ver daqui a pouco, você vai ver que debaixo dessa palavra Cristo, você tem mais do que Jesus Cristo. Você vai ver, pela Bíblia que, debaixo da palavra Cristo, você tem um homem corporativo, que é Cristo Jesus, a cabeça, e a igreja o seu corpo. Muito importante irmão. Você consegue entender irmão? Quando o Senhor Jesus ressuscitou, o cabeça desse mistério de Deus, Ele já entrou no céu. O cabeça já está nos céus, Cristo. Cristo Jesus, Homem. Deus que se fez homem, que viveu uma vida humana, que foi tentado em todas as coisas, provado, experimentado, achado digno - Esse é o meu filho, o Meu eleito, a Ele ouvi - a voz no monte da transfiguração, endossando não só a pessoa mas a vida daquele homem, o ministério Dele. A Ele ouvi, ele é o meu mensageiro, a Ele ouvi. Esse Homem entrou na morte, venceu a morte, destruiu a morte, tirou as chaves da morte, da mão do diabo, e disse: Eu tenho nas mãos as chaves da morte e do inferno, como Homem, ressuscitou então, ascendeu, foi entronizado, recebeu um nome que está acima de todo nome, para que debaixo desse nome se dobre todo joelho. Esse é o cabeça desse novo homem. A Bíblia chama de novo Homem. Cristo Jesus é o cabeça. Hebreus diz que Ele é a âncora da nossa alma, porque Ele já penetrou o véu, que no livro de Hebreus significa a presença imediata de Deus. Nós não estamos na presença imediata de Deus. Você está? Você está na presença imediata de Deus? Você está vendo o Senhor face a face? Não. A igreja não está, mas o senhor Jesus homem, ressurreto, Ele está na plenitude de Deus. Ele é Deus. E a humanidade Nele, foi glorificada. Deus homem glorificado. Então o livro de Hebreus diz assim que Ele, o nosso Jesus, Ele é âncora da alma que penetra além do véu. O livro de Hebreus diz isso no final do cap. 6, onde Jesus entrou por nós como um pré cur sor. Alguém que faz o curso que tem que ser feito antes de todo mundo. Ele é o pré cursor. Aquele que vai na frente. E os outros? Os outros vem atrás, para o mesmo lugar. Por isso que o livro de Hebreus diz que Ele está conduzindo muitos filhos à glória, porque Ele foi aperfeiçoado como autor da nossa salvação. Tão claro e maravilhoso aquele livro de Hebreus. Fonte da nossa salvação. Salvação eterna, para todos que lhe obedecem. Âncora da nossa alma que penetrou o véu. Então irmão, debaixo da palavrinha Cristo, apenas essa palavra, Cristo, você tem mais do que o homem Jesus. Claro que depende do contexto que você lê. Se você lê aqui, em Colossenses 2:2, está falando de Cristo, sozinho. Não é? Porque no versículo 3 fala: “em quem”. Então é uma pessoa. “Em quem estão ocultos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento”. Quem é esse quem? Cristo Jesus o Filho de Deus. Não sou eu, não é você. É Cristo Jesus o Filho de Deus. Está certo? Mas então, deixe-me ler um outro texto com você, para você não achar que eu estou com delírio mental. Abra, por favor, em 1ª Coríntios cap. 12. Vamos ver como que a palavra é usada aqui em Coríntios. 1ª Coríntios 12, versículo 12. Por favor, preste atenção nesse versículo. “Porque assim como o corpo é um, e tem muitos membros”. Irmão, de quem Paulo está falando aqui? De quem? O corpo de Cristo. O corpo de Cristo é quem? É a igreja. Se você ler os versículos anteriores não tem jeito de ser mais claro. Está falando dos dons que Ele concede, as diversidade de dons, a diversidade de serviço, a manifestação de espírito é dada a cada um, no verso 7. Olhe, a cada um. A um, a palavra de sabedoria, a outro a palavra do conhecimento, a outro fé, a outro o dom de curar, a outro.... é a igreja, o corpo de Cristo. Muitos membros. Agora, olhe no verso 12 então: 12 porque assim como o corpo é um, tem muitos membros, e todos os membros – eu, você, ciclano, beltrano, todos – todos os que crêem em Cristo, muitos membros, sendo muitos, constituem, formam, um só corpo. Agora preste atenção nessa próxima frase. Assim também com respeito a Cristo. Está vendo? E agora? Aqui é Cristo Jesus homem, que Paulo está falando? Claro que não. Agora ele está falando do Cristo corporativo, do qual Jesus Cristo é a cabeça glorificada no céu, e a igreja é o corpo na terra. Por que é que Apocalipse diz que quando aquele sétimo anjo tocar a trombeta, o mistério de Deus vai se cumprir? Agora você vai entender. Porque esse corpo que é a igreja, essa cabeça que é Cristo, entrará na plenitude da glória, que esse Cristo cabeça tem. Paulo em Romanos 8 diz assim: “Ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Paulo fala aos Coríntios que a nossa leve e momentânea tribulação, produz para nós um eterno peso de glória, acima de toda comparação. E nós não atentamos nas coisas que se vêem mas nas que se não vêem. E não desanimamos exatamente por isso, porque todos os propósitos, das aflições, dos sofrimentos, das tribulações é fazer com que esse corpo, debaixo das dores ele possa ser amadurecido, aperfeiçoado, e possa entrar na glória que Cristo já entrou. Por isso que o livro de Hebreus diz que Ele está conduzindo muitos filhos à glória. Então, quando você lê a palavra Cristo, você precisa olhar o contexto, se está se referindo a Cristo Jesus, ou se está se referindo ao Cristo corporativo, que se compõe Dele, o nosso Senhor, a cabeça e a igreja o seu corpo, um homem. Você não pode arrancar a cabeça e ela viver, não é? Separada do corpo e o corpo viver. Um homem, um novo homem, Cristo a cabeça glorificada no céu, provado e aprovado. Nome que está acima de todo nome, e a igreja, os muitos membros. O grão de trigo no céu, os grãos de trigo na terra, contemplando como por espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. Os irmãos estão vendo agora como todos esses versículos se encaixam? Irmão, se você puder compreender, não porque eu estou falando, porque eu não posso te explicar, mas se você puder compreender por revelação do Espírito, o que eu estou dizendo aqui, você vai entender todo o Novo Testamento, porque você terá uma visão desse novo homem da nova criação. Cristo e a igreja. O cabeça glorificado no céu, o corpo na terra, sendo aperfeiçoado por sofrimentos e tribulações, de fé em fé, de graça sobre graça, de glória em glória, de força em força, os termos que a Bíblia usa. Vão indo de força em força. Recebemos a sua plenitude graça sobre graça, de fé em fé, de glória em glória. Não é? Nós então estamos adquirindo a medida da estatura da plenitude de Cristo, como Paulo fala em Efésios. Lembra? Quer ler esse texto? Efésios, cap. 4, versículo 7. 7 e a graça foi concedida a cada um - o cada um fala do corpo. Aquele Cristo lá de Coríntios, aquele Cristo corporativo, cada um - cada um de nós segundo a proporção do dom de Cristo, por isso diz que quando Ele subiu às alturas- esse Cristo aqui é Cristo Jesus mesmo. Esse Cristo Jesus é quem concedeu a sua graça a cada um que é o seu corpo que é a igreja.- e levou cativo os cativeiros e concedeu dons aos homens, ou mais literalmente homens como dádivas, porque Ele está falando dos ministérios cristãos que são dons de Cristo á igreja. Eles foram resgatados por Cristo e são dados à Igreja como dons do próprio Cristo. Se você for ver a referência aqui, você vai ver que Paulo cita o Salmo 68, onde fala exatamente assim: recebestes homens por dádivas, até mesmo rebeldes. Então quando o Senhor levou cativo o cativeiro, ele recebeu homens por dádivas, mesmo rebeldes, então esses homens foram regenerados, santificados, abençoados pelo Espírito, o senhor concedeu uma dádiva através deles, da sua graça para que eles pudessem ser cooperadores na edificação da igreja. Especificamente esses cinco ministérios que são citados aí. São chamados ministérios fundamentais. Apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres, versículo 11. Agora, olhe o verso 12: com vistas ao aperfeiçoamento dos santos. Para que é que servem esses cinco ministérios? Para disputar um com outro para ver quem é melhor? Isso aqui é posição na igreja? Isso é hierarquia? Isso aqui é uma classe de clérigos? E o resto são os leigos? É isso que a Bíblia ensina? Não. A Bíblia ensina que esses homens são dons, que esses homens são dádivas, para o aperfeiçoamento dos santos. Esses homens não estão sobre a igreja. Esses homens estão sob a igreja. Eles são alicerces, fundamentos. Efésios 2 Paulo fala assim: edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo Ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular. Cristo é a pedra angular, apóstolos, profetas, e os outros irmãos. Assim é que é a casa de Deus. Cristo é a pedra angular. Sobre Ele apóstolos, profetas, os outros ministérios, e toda a igreja. Então eles não estão sobre. Eles estão sob. Não é hierarquia, é serviço. Com vista ao aperfeiçoamento dos santos, para o desempenho dos seus serviços, serviços dos santos. Os santos desempenhando cada um o seu serviço. Porque não há santo inútil. Não há santo sem dom. Os santos desempenham os seus serviços. Não é ? Para a edificação do corpo de Cristo. Maravilha, irmão. Agora você vê com clareza esse mistério de Deus. Cristo. Ou Cristo Jesus a cabeça. A igreja, muitos membros, o seu corpo. Quando que vai se cumprir esse mistério de Deus plenamente? Quando o sétimo anjo tocar a sétima trombeta. Por que? Porque quando ele tocar a última trombeta, uma parte final desse mistério vai se cumprir. Você quer ver? Abra lá em 1ª Coríntios 15. Se você nunca ouviu isso irmão, eu estou falando aqui, acho que eu posso estar jogando um caminhão de melancia no seu colo. Mas eu não tenho receio de fazer isso. Você vai poder voltar nesse texto devagar, se você está anotando. Você vai poder pegar a fita para ouvir de novo. O que importa - não se apavore – é que você tenha pelo menos uma visão do todo, uma visão do quadro, para que você depois possa ir vagarosamente, porque esse é um assunto de meditação. Não é um assunto de instrução apenas. Não é? Acadêmico. Mas é um assunto em que você tem que andar pé ante pé. O princípio de Deus para Josué conquistar a terra de Canaã era esse. Todo lugar onde pisar a planta do vosso pé será vosso(Josué 1:3). Pé sobre pé. Onde você pisa, você conquista. Assim é Cristo. Então, você tem que ir pisando devagar sobre esse processo todo, para que você vá conquistando essa visão, esse quadro, essa compreensão. Olhe lá então 1ª Coríntios 15. Olhe o versículo 50. Isso afirmo irmãos, que carne e sangue - ou seja, coisas naturais, o que você e eu somos por natureza - não podem herdar o reino de Deus. O que é que vai acontecer quando esse sétimo anjo tocar a trombeta? Apocalipse já falou para nós. O mistério de Deus vai se cumprir. Que mistério? O Reino do mundo se tornou do Senhor e do seu Cristo. Então o assunto aqui é o mesmo. É o Reino. O mesmo Reino. Carne e sangue não podem herdar o reino de Deus nem a corrupção herdar a incorrupção. Olhe o verso 51, o que está escrito aí na primeira frase? Eis que vos digo que o quê? Olhe a palavrinha nossa aí – mistério. Então você está vendo, como eu falei, mais um holofote, através dessa palavra mistério, para nos ajudar na compreensão do grande mistério. Qual é a compreensão do grande mistério? Cristo. Ou melhor ainda, mais acertadamente, Cristo e a igreja. Onde está escrito isso? Efésios 5. Deixará o homem pai e mãe e serão os dois uma só carne. Grande é esse mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja. Então qual é o mistério de Deus? Cristo e a igreja, porque o mistério de Deus é Cristo, como Paulo fala em Colossenses, e o mistério de Cristo é a igreja, como fala em Efésios. Efésios 3. Quando lerdes podeis compreender o meu discernimento no mistério de Cristo. E ele vai falar sobre a igreja. Então o mistério de Deus é Cristo, o mistério de Cristo é a igreja. Então qual é o mistério de Deus? Cristo e a igreja. Está certo? Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja. Agora você vai ver essa palavrinha mistério, ajudando a lançar mais luz sobre esse grande mistério Cristo e a igreja. Vamos com calma. Eis que vos digo um mistério. Será que é um mistério diferente de Cristo, fora de Cristo, que não tem a ver com Cristo, que não tem a ver com a Igreja? Nunca irmãos. Porque não é esoterismo. Você não tem jeito de passar de Cristo para um outro mistério. Qual é o mistério maior do que Cristo? Você não tem jeito de passar da igreja para um outro mistério. Qual que é o mistério maior do que a igreja? Cristo e a igreja são um homem, um novo homem. O novo homem da nova criação. Cristo é o cabeça, e a igreja é o corpo. Uma unidade. Nada é maior do que isso. Então quando Paulo diz assim: “eu vos digo um mistério, ele está falando para esquecer de Cristo, da igreja, vou te contar aqui um outro mistério. Só alguns especiais vão compreender. Só alguns iluminados, só alguns privilegiados”. Isso é esoterismo. Isso não é igreja. Então quando Paulo fala assim: “eu vou dizer mais um mistério para você”, ele está querendo dizer: “eu vou lançar mais luz sobre o mesmo assunto. Qual assunto? Cristo e a igreja. Qual luz que ele vai lançar? O mistério da ressurreição do nosso corpo físico. Então vamos ler: eu vos digo um mistério. Nem todos dormiremos, ou morreremos. Mas, transformados seremos todos num momento, instantâneo. Num abrir e fechar de olhos. Agora, qual a expressão que está aí irmãos? Ao ressoar do que? O que é que está escrito lá em Apocalipse que nós acabamos de ler? Quando o sétimo anjo - tem um oitavo anjo em Apocalipse? Não. O sétimo é o último. Quando o sétimo anjo tocar o quê? A sétima trombeta, cumprir-se-á o mistério de Cristo. Está vendo? Por que cumprir-se-á? Porque agora vai ser visto plenamente esse mistério. A igreja, os santos que estiverem vivos, eles serão, em um instante, num abrir e fechar de olhos, eles serão transfigurados. Já pensou isso irmão? Filipenses diz assim: que o nosso corpo de humilhação será igual ao corpo de sua glória, do nosso Senhor Jesus. E Ele vai fazer isso na igreja por causa do poder que Ele tem, de subordinar a si, todas as coisas. É o que Paulo diz lá em Filipenses. Não é lindo? Então quando ele fala sobre esse mistério, ele não está mostrando uma novidade a mais. Ele está lançando luz no mistério de Deus: Cristo e a igreja. Só que agora ele tira uma faceta desse mistério que se chama ressurreição do corpo. Esse é o assunto de 1ª Coríntios 15. Então todos os lugares em que você ler a palavrinha mistério, você vai ter sempre holofotes lançando luz no mesmo assunto. O assunto é Cristo e a igreja e nenhum outro mais. Esse é o assunto de Deus, o único assunto. Não é maravilhoso irmãos? Então você não tem um novelo com muitas pontas, um emaranhado, que você tem que buscar um fio daqui para ver de onde chega e outro dali. Você tem um único assunto, que ocupa o cerne do coração de Deus, que é o seu Filho, e a noiva do seu filho.

Abraão. O que ocupa o coração de Abraão é Isaque. Mas não é só Isaque. Quando Abraão já está velhinho, Isaque já está amadurecido, Abraão chama o seu servo Eliezer, uma figura do Espírito Santo, e ele se preocupa com mais alguém do que o seu filho. Com quem mais que Abraão se preocupa? Rebeca, uma figura da igreja. Então ele chama Eliezer que é o seu servo, figura do Espírito Santo, e fala para Eliezer: Você vai jurar que você vai ao meu povo, procurar lá a esposa para o meu filho. Abraão é um tipo de Deus Pai no Velho Testamento. O que é que ocupa o coração de Deus? Dois assuntos que são um. O seu amado filho, eterno filho, em quem tem Ele todo o seu prazer. Exatamente por isso tem um mais assunto que ocupa o seu coração. Uma esposa digna para casar-se com o seu filho e a esposa é a igreja. Os eleitos de Deus em Cristo, desde antes da fundação do mundo, que na sua história natural começaram não como santos, mas como pecadores depravados e alienados debaixo da ira de Deus, esse filho então entregou-se pela sua própria esposa até a morte, para que a santificasse, para que a purificasse, para apresenta-la a si mesmo uma igreja gloriosa, sem mancha, nem mácula, nem ruga, mas santa e sem defeito. Essa é história de Abraão, de Isaque e de Rebeca. Esse é um assunto do coração de Deus. Irmão que proveito você pode tirar da história de Abraão se você não vê Cristo e a igreja? Você só vai ver o patriarca de Israel, o velho Abraão, que amava a Isaque, mandou o servo para a terra, e trouxe Rebeca, uma moça muito linda e os dois se casaram. Só isso é o que o Senhor tem para nos falar? Ou será que Ele está nos falando do mistério de Cristo e da igreja lá no Velho Testamento? Então esse é o assunto de Deus. Você vê que essa palavrinha mistério aqui está lançando mais luz sobre esse aspecto, sobre um dos aspectos desse mistério. 52 Num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, duas coisas vão acontecer. Os mortos ressuscitarão incorruptíveis - esses mortos aqui não são todos os mortos não. São os mortos em Cristo, porque os outros mortos fora de Cristo, eles não ressuscitam até que se cumpra todo o milênio. Depois eles vão ressuscitar para o juízo do grande Trono Branco, o juízo final de Apocalipse 20. Essa primeira ressurreição é apenas dos santos, dos escolhidos, dos que morrem em Cristo. Então eles ressuscitarão incorruptíveis, os mortos, os santos que morreram no Senhor. E nós, que estivermos vivos, seremos transformados. Parte do mistério. Por isso que lá em Apocalipse diz que então se cumprirá o mistério de Deus, quando aquele anjo tocar a trombeta, porque agora toda a criação vai olhar como que numa vitrine, e ver aquela beleza da obra de sabedoria de Deus, que poderosos nenhum deste século conheceu, como ele fala em Coríntios. Nós lemos também no início. Porque se tivessem conhecido não teriam crucificado o Senhor da glória. Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram nem jamais penetrou no coração humano, mas naquele dia isso tudo vai ser revelado. O diabo, os demônios, os incrédulos, os anjos, todos estarão com os olhos fixos na igreja, porque Cristo estará sendo plenamente glorificado na igreja. Eu lembro que na reunião anterior nós lemos esse texto de Tessalonicenses. Tessalonicenses fala que Cristo vem para ser glorificado nos seus santos. Ele vem para ser admirado em todos os que crêem. Cristo não vai ser admirado aqui, ali, e mais ali? Não. É na igreja. Porque pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus, se tornará conhecida de principados e potestades nos lugares celestiais. Agora você viu o quadro?

Agora nós vamos gastar os quinze minutos que temos passar por mais algumas palavrinhas mistério, para quem sabe ajudar a você ter mais luz sobre o mesmo assunto. Não vamos mudar de assunto. Mesmo assunto: Cristo e a igreja, o mistério de Deus. Cristo e a igreja, só que com mais holofotes, mais luz. Então aqui em Coríntios tem o holofote da ressurreição. Para que nós participemos dessa glória, Cristo não vai nos deixar com esse corpo baixo, com esse corpo tão vil, com esse corpo corruptível. Esse corpo que por mais que se cuide dele, ele está, inevitavelmente debaixo da corrupção. Se degenerando dia após dia. Não é? Se o Senhor não voltar ainda no nosso tempo, na nossa geração, ele volta para o pó. Mas, como o Senhor nos comprou para Ele integralmente, espírito, alma e corpo, então quando Ele voltar, se o nosso corpo estiver no pó, Ele vai chamar o nosso corpo do pó, para uma restauração gloriosa, e nós habitaremos com corpo diante Dele. Espírito alma e corpo. O Deus da paz vos santifique em tudo; espírito, alma e corpo. Sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda do Senhor. Que grande salvação. Então 1ª Coríntios 15 se refere ao último aspecto da salvação, essa transformação do corpo. Nós cremos nisso? Essa é uma verdade essencial na vida da igreja. Se a nossa esperança em Cristo, se limita apenas a essa vida, por mais que você goze de Cristo, viva Cristo, ame a Cristo, sirva a Cristo, conheça a Cristo, mas se a sua esperança em Cristo, se limita apenas a essa vida, até chegar a hora da sua morte, Paulo diz: você é o mais infeliz de todos os homens, porque a nossa esperança em Cristo está infinitamente além dessa vida, onde não haverá nem pranto, nem luto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. Deus estenderá o seu Tabernáculo sobre os homens. E Deus mesmo habitará com ele e lhes enxugará dos olhos toda a lágrima, e os seus servos o servirão, contemplarão a sua face e nas suas frontes estará escrito o nome Dele. Essa é a nossa esperança. Não é vivermos vinte e trinta quarenta anos com Cristo não. É muito mais do que isso. É habitarmos eternamente com o Senhor vendo-o face a face, o servindo e o amando. Então Paulo diz assim: Eu vos digo um mistério. Ele lança luz aqui com a ressurreição do corpo. Está certo?

Vamos ver mais então mais algumas. A palavra que eu li lá em 1ª Coríntios 2, vamos voltar nela um pouquinho, bem rápido. Versículo 7. O irmão vai ver que, obviamente, não muda o assunto. O assunto é o mesmo, só que por um ângulo diferente. O verso 7 fala assim: Mas falamos a sabedoria de Deus, em mistério. Mais um mistério aqui. Que mistério que esse daqui? Lá em Coríntios é um mistério da ressurreição do corpo, e aqui em Coríntios 2, é o mistério da sabedoria de Deus. Agora irmão, se você ler o cap. 1 de Coríntios, o verso 30, você vai ver que a sabedoria de Deus não é um atributo de Deus. A sabedoria de Deus é a própria pessoa Dele. É o que Ele é. Ele é sábio. A sabedoria é uma pessoa, é o seu Verbo, o seu Logos. Então, 1ª Coríntios 1:30 diz assim: vós sois dele, de Deus, em Cristo Jesus, o qual, Cristo Jesus, se tornou para nós, da parte de Deus - agora fala quatro coisa que Cristo Jesus é – a primeira delas é Sabedoria. Não e´?

Em Provérbios 8:12 em que a Sabedoria fala como sendo uma pessoa: eu, a Sabedoria, habito com a prudência. Lembra. Eu a Sabedoria. A Sabedoria de Deus é Cristo, o seu Verbo, o seu Logos. Então Cristo Jesus se nos tornou Sabedoria. Então, se você for lá para o Verso 7, 1ª Coríntios 2:7, falamos a sabedoria de Deus? Nós acabamos de ler. É Cristo. Então você poderia mudar esse versículo assim: Mas falamos o Cristo de Deus. Não é? Não está errado você fazer isso. Cristo é a Sabedoria de Deus. Então nós falamos do Cristo de Deus, da Sabedoria de Deus em mistério. Agora ele vai mostrar mais luz sobre esse Cristo de Deus, esse mistério, essa Sabedoria de Deus. Olhe lá: outrora oculta. Cristo no Velho Testamento irmão, só foi conhecido de forma profética ou teofânica. Só foi conhecido porque os profetas falaram dele, em tantos textos - Isaías 53 por exemplo - “Ele foi oprimido e humilhado, não abriu a sua boca, um cordeiro mudo perante os seus tosquiadores - é Cristo, não é? Profetizado. Então o Cristo foi falado profeticamente, ou o Cristo foi manifestado teofanicamente, como aquele anjo do Senhor. Aquele anjo que apareceu a Abraão, aquele anjo que apareceu a Gideão, o que apareceu a Moisés. Teofanias. Não é? Mas não encarnado. Ele foi apenas profetizado, ou manifestado naquelas teofanias. Por isso que Paulo diz: outrora oculta. Não é? Outrora oculta. Isaías não conheceu. Daniel não conheceu. Gideão não conheceu. Moisés não conheceu. Era oculta. Era profecia ou teofania. Não era Cristo. Mas, quando Ele se encarnou irmão, por isso a encarnação é tão essencial, o Verbo oculto, o Verbo foi no Velho Testamento só profetizado, só manifestado teofanicamente. Agora não. Agora o Verbo, Ele mesmo, se fez carne, e habitou entre nós. Irmão. Olhe o peso disso. Agora não é teofania. Agora não é profecia. Agora é encarnação. O Verbo se fez carne e habitou entre nós. Por que é que João dá tanta ênfase a isso irmãos? Você vê por que agora? Uma teofania não pode nos salvar. Uma profecia não pode nos salvar. Mas o Deus encarnado pode nos salvar. O Deus encarnado pode satisfazer a justiça de Deus, pode nos representar como homem, porque Ele é tanto Deus quanto homem. Então por isso que João se gloria tanto e ele fala assim: “Nós vimos, nós ouvimos, com as mãos apalpamos o Verbo da Vida. E a Vida se manifestou. Não é isso que João fala? A importância, o alicerce da encarnação. Por isso que João fala assim que todo espírito no seu falar, no seu agir, no seu pensar, no seu pregar, seja como for, que não glorifique a Cristo, não procede de Deus. É o espírito do anticristo, que nega que Jesus veio em carne. Esse é o maior critério para nós julgarmos os espíritos na vida da igreja. Se a pregação tem mostrado Cristo, tem glorificado Cristo, tem sido cristocêntrica, tem revelado a divindade de Cristo, a humanidade de Cristo, a Cruz de Cristo, o sangue de Cristo. Qualquer pregação que não leve você a isso irmão, é bobagem, porque a pregação do Espírito Santo é Cristocêntrica, porque o mistério de Deus é Cristo, porque fora de Cristo não há nenhuma sabedoria e nenhum conhecimento. É por isso que as filosofias são vãs. Em Cristo estão ocultos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento. Não é assim que Paulo fala em Colossenses? Então não sobrou mais para ninguém. A igreja é portadora de um depósito Divino. Nós abrimos essa sessão de quatro mensagens falando isso, você se lembra? A igreja é portadora de um depósito Divino. O que é que eu e você temos feito com ele? O mundo não o tem. As religiões não o tem. Os muçulmanos não o tem. Os budistas não o tem. Os filósofos não o tem. Só a igreja o tem. Ela é a casa de Deus, coluna e baluarte da verdade. A filosofia é o homem apalpando, procurando chegar a algum lugar. O homem apalpando: filosofia. A revelação é Deus falando, e mostrando as coisas como realmente são. A igreja não vive de filosofia. Ela vive de revelação. A revelação de Deus em Cristo. Não é? Sabedoria outrora oculta, nos tempos do Velho Testamento, a qual Deus preordenou desde a eternidade - olhe como lança mais luz - estava oculta, mas estava preordenada, ou seja, viria um tempo em que essa sabedoria de Deus seria manifestada em Cristo. Por que Sabedoria irmão? Por que Sabedoria? Por que que era uma coisa que seria um choque para anjos e até para demônios? Porque Deus iria resgatar os homens, de uma forma justa e amorosa. Ele iria pagar o salário devido ao pecado, por causa do pecado, devido a Ele mesmo e não ao diabo, Ele iria pagar o salário do pecado a ele mesmo que é Deus, de uma forma que Ele mesmo Deus pudesse ficar satisfeito, não é? E Ele iria representar o homem de tal forma que o homem pudesse ser perdoado e resgatado. Então o nosso Salvador se fez Deus-Homem. Por isso que lá em Timóteo, quando Paulo usa a palavra mistério, ele faz referência à encarnação. A palavra mistério aparece lá em Timóteo também. Grande é o mistério da piedade. Aí ele diz: aquele que foi manifestado na carne, mais um versículo com a palavrinha mistério que vai lançar mais luz, sobre o mesmo assunto. Cristo e a igreja. Não é? Então essa sabedoria, ela é preordenada, desde a eternidade, mas não revelada. Preordenada, para a nossa glória, ou para a nossa recuperação, para nossa restauração. Agora o versículo 8: sabedoria essa que nenhum dos poderosos deste século conheceu, porque se a tivessem conhecido jamais teriam crucificado o Senhor da glória. Você entende esse versículo 8? Você já procurou ver se você entende bem? Você já fez uma exegese desse versículo? Já procurou saber o que é que está escrito aí? Devia. Esse versículo está dizendo que se esses poderosos,, Herodes, Pilatos, o sumo sacerdote Anãs, Caifás, se eles soubessem quem era aquele homem, eles teriam colocado aquele homem preso, isolado, guardado dia e noite, e como uma tábua na porta dizendo: esse homem não pode morrer. Todo mundo pode morrer, menos esse. Porque se esse morrer nós estamos arruinados. Mas porque eles não conheceram essa sabedoria que pela sua morte e a sua entrada na morte ele iria destruir a morte, Ele ia destruir o diabo, Ele ia expor os principados e potestades à vergonha, triunfar na cruz - essas duas coisas não combinavam na cabeça dos poderosos - cruz é vergonha. Cruz não é triunfo. Mas Jesus triunfou na cruz, porque Ele é Deus homem. Não é? Então eles não conheceram o Senhor da glória. Eles o mataram. Se eles o tivessem conhecido eles não o iriam matar. Eles iam isola-lo. Não é? Para que Ele então não triunfasse. Isso é o que esse versículo está dizendo. Mas como olhos não viram, como ouvidos não viram, jamais penetrou em coração humano, então esses tolos e ignorantes cumpriram o propósito de Deus, como a igreja primitiva orou, exatamente assim, lá em Atos 4. Ele fala assim: Juntaram-se nessa cidade, Poncio Pilatos e Herodes, e etc, autoridades, para fazerem tudo o que a tua mão e o teu propósito predeterminaram. Lembra a igreja orando? A igreja primitiva em Atos 4? Olhem que visão que eles tinham irmãos. Eles não tinham um entendimento que Cristo morreu por uma fatalidade, por destino. A semente da igreja estava sendo semeada, na pessoa de Cristo. Agora, olhe o verso 10. Mas Deus no-lo revelou. No verso 7 diz, outrora oculta. No verso 8 diz que nenhum poderoso conheceu. Está certo? E no verso 10, diz que Deus o revelou. Revelação. Graça. Outrora oculta na eternidade. No tempo, nenhum poderoso O conheceu. No tempo, versículo 8. E no 10: Deus no-lo revelou, pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta até mesmo as profundezas de Deus. 11 Porque qual dos homens sabe das coisas do homem senão o espírito que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o próprio Espírito de Deus. 12 Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo e sim o Espírito que vem de Deus para que conheçamos - revelação - Deus nos revelou, o que por Deus nos foi dado gratuitamente. Muito lindo e muito claro o texto. Está falando sobre tudo isso que estou tentando ajudar os irmãos aqui desde o início. Cristo, a sabedoria de Deus. O Cristo eterno, o Cristo encarnado, a igreja que foi trazida à existência pela morte e ressurreição de Cristo. O mistério que é Cristo e a igreja. Paulo está lançando mais luz através desse texto, chamando de mistério da sabedoria de Deus. Está certo?

Deixe-me citar para os irmãos os últimos, já que o nosso tempo acabou. Volte um pouquinho em Romanos 16. Versículo 25. Depois você medite por você mesmo nesses textos. Aquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu Evangelho, e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério. O que é que o mistério revela? Cristo. O mistério é revelado pela pregação de Jesus Cristo, pelo Evangelho, conforme a revelação do mistério, guardada em silêncio nos tempos eternos. Mistério guardado em silêncio. Mais uma palavrinha aí se referindo à mesma coisa. Não é? Vamos dar uma olhada em outra. Bem rápida. Em outra menção dela. Efésios cap. 3, verso 4. Eu já citei. Só para os irmãos localizarem agora na Bíblia. Paulo fala assim: pelo qual, quando ledes, podeis compreender o meu discernimento do mistério de Cristo. Se você for ler os versículos seguintes 5 e 6, você vai ver qual que é o mistério de Cristo. O 6 por exemplo ele fala: a saber, que os gentios são co-herdeiros, membros do mesmo corpo. Esse é o mistério de Cristo. Corpo, a igreja, e lá no 10 ele fala: para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida. No verso 9 ele usa de novo essa palavra: No 8 ele diz assim: a mim, o menor de todos os santos, foi dada a graça de pregar aos gentios o evangelho. O que é que é o Evangelho? O que é que o Evangelho anuncia? As insondáveis riquezas de Cristo, porque Cristo é o mistério de Deus. O Evangelho anuncia as insondáveis riquezas de Cristo. O que mais que a pregação do Evangelho faz? Ela anuncia as insondáveis riquezas e ela manifesta a dispensação, ou economia no original, os ministros são despenseiros, não é?, desse mistério - está aí a palavrinha no verso 9 - dispensação do mistério desde os séculos ocultos em Deus, que criou todas as coisas. Toda vez que você olhar esse texto então, você se lembre da chave desse mistério. Lembre-se de Abraão, lembre-se de Isaque, lembre-se de Rebeca, lembre-se de Eliezer. Deus enviou o seu Espírito Santo, depois da ressurreição e entronização de Cristo como cabeça da igreja, para que o Espírito Santo pudesse preparar, assim como o servo Eliezer de Abraão, preparar uma Rebeca, uma igreja gloriosa para as bodas com o seu filho. Essas bodas vão acontecer quando o último anjo tocar a última trombeta. Então o mistério da ressurreição do corpo, acontecerá conosco e com os santos que dormem no Senhor. Nós então poderemos habitar para sempre com o Senhor. Todas as outras menções que você ler da palavra mistério, vão lançar luz sobre o mesmo assunto. É tão interessante que você precisa gastar tempo com isso. Procurar as menções, ler e meditar nelas, para você ver as belezas delas. Leia Timóteo sobre o mistério da piedade. Leia ainda em Timóteo, sobre o mistério da fé. No final de Efésios sobre o mistério do Evangelho, para você ver como que cada menção vai lançando mais luz sobre esse lindo quadro. Irmão. Essa é uma visão governante. Se nós não temos essa visão governante, nós não sabemos o que fazer sobre as outras coisas. Nós vamos ver mal, por exemplo, o ministério. Se o ministério na vida da igreja não opera, com relação ao aperfeiçoamento dos santos como igreja gloriosa, para Cristo, então ele é entretenimento. Então ele vai pregar o que os ouvidos gostam de ouvir. Por isso você vê tanta erudição tola no meio de pregadores evangélicos. Não é? Tem pessoas que se convertem a Cristo. Quanto nós vimos isso no passado? E porque elas são por exemplo, advogados, elas tem curso de direito, então elas se convertem, caminham seis meses na vida da igreja e já são eleitas pregadores, porque ele tem eloqüência e sabe falar. O advogado vai pregar o evangelho, porque ele tem boa oratória, boa eloqüência. Os irmãos vêem o engano disso tudo? Quando nós não temos uma visão do propósito de Deus – Cristo e a igreja - ministério só serve para entreter. Nós vamos pregar para tentar fazer os outros se sentirem melhor, não para que eles tenham verdadeiro arrependimento. Nós vamos ficar usando o tempo aqui para nos agradar uns aos outros, e não para ver o que é que Deus tem para nós em Cristo. Então irmão, que necessidade que nós temos dessa visão governante, porque ela é governante. Ela governa tudo. Você reúne para quê? Você exerce serviço na igreja, exorta um irmão, cuida, pastoreia, para quê? Para ele se sentir bem? Ou porque você vê que Deus tem um propósito para executar na vida dele? Quando ele está sofrendo, o que é que você vai fazer? Você vai procurar apaziguar o sofrimento dele? Quando ele vem para você falando mal de um outro irmão, o que você faz? Dá razão para ele? Tudo depende de como você vê Cristo e a igreja. Tudo irmão. Tudo. Uma simples conversa, um simples relacionamento, tudo depende de como você vê Cristo e a igreja: como você vê esse supremo propósito de Deus. Cristo e a igreja. O mistério de Deus: Cristo e a igreja. Grande é esse mistério.

Então, que o Senhor permita-nos, no devido tempo, a gente abordar de novo essas verdades agora mais detalhadas. Vamos ver o mistério da Expiação. Nós vamos começar por aí. Primeira e segunda eu disse aos irmãos que nós já tocamos nele, Trindade e Encarnação. Quando voltarmos nós vamos começar pelo mistério da Expiação. Vamos falar sobre a queda, o pecado original, para que nós tenhamos verdades que governem nossas vidas, e possam reger a nossa maneira de falar. Que você possa ser um arauto de Deus. Não fique como tolo, falando sim, é, é, também penso, concordo, diante de tudo o que você ouve, de pessoas que as vezes você tem vergonha e as vezes fala por medo. Você não foi chamado para isso. Você é coluna e baluarte da verdade. Não importa diante de quem você está. Senão você vai ser um menino tolo, jogado de um lado para outro, agitado ao redor de todo vento de doutrina. Mas não é esse o propósito de Deus para nós. Ele quer que nós tenhamos uma estatura madura na plenitude de Cristo, que nós possamos dar o nosso testemunho, que nós cremos na Trindade, que nós cremos na Encarnação, na morte expiatória de Cristo, na sua ressurreição, cremos no pecado original. Nós não achamos que o homem pode se reformado por religião, por psicologia, por nada. Só por Cristo. Nós cremos na queda, nós cremos no Espírito Santo, nós cremos na igreja. Não cremos na instituição humana, não cremos em denominação. Não cremos em instituição. Nós cremos na igreja, no corpo de Cristo. Não é? Então nós precisamos ser testemunhas dessas verdades, desses alicerces. Amém. Vamos orar.

Ó Pai. Ajuda-nos Senhor para que o nosso coração possa ter uma verdadeira compreensão espiritual dessas coisas, Senhor. Não queremos nos contentar com compreensão intelectual, apenas na mente. Nós queremos ter uma compreensão de coração Senhor. Que essas verdades elas sejam entranhadas em nós, que elas sejam a nossa própria vida, vivendo por elas, e morrendo por elas. Senhor, ajuda-nos a sermos verdadeiras colunas, verdadeiros baluartes da verdade. Não nos deixe nos intimidar pelos adversários. Dá-nos um espírito de ousadia, mas também de mansidão, de temor e de moderação. Ajuda-nos Senhor. Dá-nos esse equilíbrio que é Teu. Nós pedimos ao Senhor que nos desafie, ó Pai, com a tua palavra, com a tua verdade, com o teu Evangelho, com esse mistério guardado no teu coração. Que o Senhor desafie o nosso coração à compreensão e à vivência prática do que o Senhor tem para nós, aquilo que o Senhor, desde a eternidade, preordenou para a nossa glória. Nós agradecemos por participar desse mistério, mas nós pedimos a Ti que nos dê uma experiência maior Dele, uma realidade maior Dele, para que a nossa vida seja regida por essa visão, governada. Que nós possamos ser verdadeiramente sal e luz, nessa terra. Nós te pedimos. Opere em nós, em nome de

3 comentários:

Pedro Aurelio disse...

Paz do Sr. meus queridos irmãos voz adicionai no meu mms para poder-mos falar, muito obrigada por querem orar por mim .
Que Deus vos possa abençoar ricamente as vossas vidas .
Fiquem com a paz de Cristo Jesus .

Irma Irina disse...

Olá Pedro,
Recebemos a sua mensagem e vamos orar por si sabendo que o nosso Deus,
segundo as Suas riquezas suprira todas as necessidades em gloria , por Cristo Jesus (Filipenses 4.19).
No que pudermos lhe ajudar entre em contacto connosco por este e-mail: ( Por motivos de segurança do mesmo foi retirado o endereço do seu mms)

Irma Irina disse...

" Esperei com paciência que Deus me socorresse, então Ele me ouviu e atendeu ao meu apelo.
Tirou-me de um poço de desespero, dum charco de lodo, e pôs-me os pes sobre uma rocha,
e fez-me andar num caminho seguro." (Sl 40.1-2)